Brincar para quê? O brincar explicado pela Terapia Ocupacional!

Autor

Publicado em:
29 Maio, 2018

Faça o seu pedido de consultas com Diana Fernandes

Brincar para quê? O brincar explicado pela Terapia Ocupacional!

Brincar é a melhor forma da criança aprender sobre si mesma, sobre o mundo e sobre o outro. É fundamental para o desenvolvimento físico, emocional, social e intelectual.
É a brincar que a criança desenvolve competências essenciais como a atenção e concentração, raciocínio lógico, criatividade, a motricidade global e fina e memória, para futuramente obter o sucesso escolar idealizado.
A brincar a criança:

  • Desenvolve a Fala;
  • Desenvolve a motricidade global e fina;
  • Aprende regras sociais;
  • Explora os sentimentos;
  • Aprende a lidar com as adversidades;
  • Estimula a integração de respostas sensoriais adequadas.

Dicas:

Brincar no chão é muito mais seguro e possibilita o desenvolvimento motor, principalmente nos primeiros anos de vida.

Até aos 2 anos
Nesta fase, a brincadeira deve estimular os sentidos.
Correr, puxar carrinhos, escalar objetos, jogar com bolas pequenas e de diferentes texturas, por exemplo.

Dos 2 aos 4 anos
Começam as brincadeiras de faz de conta.
As crianças respondem a brincadeiras de casinhas, de trânsito, de escolinha e de outras atividades do dia-a-dia.

Dos 5 aos 6 anos
Os jogos motores (de movimento) e os de representação (faz de conta). continuam e aperfeiçoam-se.
Surgem os jogos coletivos, de campo ou de mesa.

Mais de 7 anos
A criança está apta para participar e divertir-se com todos os tipos de jogos aprendidos, mas com graus de dificuldade maiores.

Se reparou em alguma alteração na forma de brincar do seu filho contacte o seu Médico Assistente ou um Terapeuta Ocupacional!

Dra. Diana Fernandes – Terapeuta Ocupacional no CMM Aveiro