Como pode a Terapia Ocupacional ajudar?

Autor

Publicado em:
26 Outubro, 2021

Faça o seu pedido de consultas com Diana Fernandes

A Terapia Ocupacional (TO) pode ajudar pessoas de todas as idades e que apresentem alguma limitação ou até incapacidade para realizar as suas atividades do dia a dia.

Se refletirmos no nosso dia a dia, apercebemo-nos de que é composto por um leque de atividades que precisam de diferentes competências na sua execução. Até as que aparentam ser mais simples, como pentear o cabelo, lavar os dentes ou vestir-se, podem se tornar verdadeiros desafios quando existe alguma condição de saúde que o impedem de as realizar adequadamente.

Quem é o Terapeuta Ocupacional?

O Terapeuta Ocupacional é o profissional de saúde que ajuda a pessoa a alcançar sucesso na realização dessas atividades – ocupações. As áreas de ocupação incluem Atividades da Vida Diária (AVDs) (como a alimentação, a higiene pessoal, o vestir/despir, a mobilidade…) e Atividades de Vida Diária Instrumentais (AVDIs) (como a gestão financeira, gestão da medicação, uso do computador ou telemóvel…), trabalho, lazer, brincar.

Sendo amplo o seu leque de intervenção, em bebés e crianças, o Terapeuta Ocupacional intervém em casos de Atrasos de Desenvolvimento, Perturbações do Espetro do Autismo, Hiperatividade, Défice de Atenção, Paralisia Cerebral, Dificuldades Grafomotoras, Disfunções de Integração Sensorial, entre outras.

Em jovens, adultos e idosos intervém em Acidentes Vasculares Encefálicos (AVC), Traumatismos, Condições Ortopédicas, Demências, Parkinson, na perda de autonomia associada ao envelhecimento, entre tantas outras condições clínicas.

E como pode beneficiar um bebé ou criança, com atraso de desenvolvimento, da intervenção da Terapia Ocupacional?

O Terapeuta Ocupacional estuda o desenvolvimento normal infantil e os grandes marcos do desenvolvimento.

Num bebé de poucos meses que apresente atraso no desenvolvimento, pode ser necessário estimular diferentes sentidos (visão, tato, vestibular, propriocepção, audição) para reconhecimento e interação com o meio que o rodeia, assim como desenvolver capacidade de controlo cervical e promover o desenvolvimento das mudanças de posição (rolar, sentar, gatinhar…).

Na criança através do brincar, o Terapeuta Ocupacional estimula-a tanto a nível sensorial como motor. O brincar é utilizado como ferramenta fulcral para alcançar as diferentes etapas do desenvolvimento, uma vez que o Terapeuta Ocupacional seleciona os brinquedos e atividades consoante as características e necessidades de cada criança.

Como pode um adulto com comprometimento motor ser ajudado pela TO?

O Terapeuta Ocupacional adapta/cria soluções para que esse indivíduo possa realizar as suas tarefas do dia a dia, usando por exemplo apenas uma mão ou com auxílio de algum produto de apoio (cabos engrossados, calçadeiras, barras de apoio para banho…), para se alimentar, cozinhar, vestir, lavar os dentes, pentear o cabelo, tomar banho, utilizar o computador ou qualquer outra atividade ou trabalho que necessite ou queira fazer.

O objetivo primordial é que o indivíduo possa executar as suas atividades independentemente da sua condição física.

Simultaneamente, é também responsabilidade do Terapeuta Ocupacional compreender e analisar quais são as estruturas e/ou funções que estão a limitar o desempenho do indivíduo. Assim, segue-se a construção de um plano de intervenção adequado e individualizado, assentando no recurso a atividades/ocupações significativas com o intuito de prevenir, restaurar ou manter funções através do uso de técnicas e estratégias específicas, normalmente em equipa multi e transdisciplinar com outras profissões do fantástico mundo da Reabilitação como a Medicina Física e de Reabilitação, Terapia da Fala, Fisioterapia, Psicologia Clínica, etc… .

Autora

Diana Fernandes,  Terapeuta Ocupacional (C-050198181) no CMM – Centro Médico de Aveiro.

Outros Artigos
Siga-nos