Acupuntura Médica

Autor

Publicado em:
12 Março, 2021

Faça o seu pedido de consultas com Miguel Cancela

Artigos do Autor

O que é Acupuntura?

A Acupuntura é um método terapêutico milenar Chinês, que se baseia em explicações naturais, belas e de certa forma filosóficas, na tentativa de perceber os seus efeitos terapêuticos. É uma técnica que se foi desenvolvendo ao longo de 2000 anos e durante todo este tempo, tal como muito do conhecimento e da compreensão da vida e do Universo foi mudando, também o conhecimento acerca da ciência por trás desta técnica evoluiu. O interesse que despertou junto da comunidade médica permitiu embasar de uma forma cada vez mais sólida esta nova disciplina que a medicina ocidental acolheu, com o reconhecimento da competência em Acupuntura Médica.

Embora a comunidade médica reconheça a Acupuntura como uma parte fascinante da história, há diferenças entre a Medicina Tradicional Chinesa e a Acupuntura Médica que são evidentes. Talvez a mais evidente resida no facto de a Acupuntura Médica (por ser praticada por médicos), reconhecer bem as limitações desta técnica, conseguindo compreender quais as situações em que existe benefício para o doente. Dificilmente uma técnica terapêutica consegue abarcar todas as condições patológicas, e é para nós difícil de explicar que doenças como por exemplo cancro, artrite reumatóide, problemas pulmonares ou cardíacos possam ser tratados com agulhas de Acupuntura. O mais importante para o profissional que pratica Acupuntura é saber quando é apropriado (ou não) utilizá-la no plano de tratamento de um doente .(1)

Como são obtidos os efeitos terapêuticos?

A Acupuntura é assim uma técnica que utiliza a capacidade natural do corpo para retornar à normalidade. Os seus efeitos terapêuticos são obtidos quando, através da inserção de agulhas finas nos tecidos (principalmente pele e músculos), o Médico consegue modular o funcionamento do Sistema Nervoso, do Sistema Endócrino, do Sistema Imunitário e das glândulas exócrinas.

O estudo dos mecanismos de ação da Acupuntura tem sido investigado desde a segunda metade do século XX, sendo hoje um facto que a Acupuntura exerce os seus efeitos através da estimulação de terminações nervosas nos tecidos punturados. Esta estimulação provoca a libertação de uma série de substâncias que têm como efeito final o aumento da circulação local, com melhoria da oxigenação e do aporte de nutrientes aos tecidos. (2)

Uma das mais importantes substâncias libertadas é a beta-endorfina, uma hormona com forte atividade analgésica, que ao ser lançada em circulação leva a uma diminuição da sensação dolorosa, e facilita sensações de relaxamento e bem-estar. Estudos mostram que a ação da beta-endorfina equivale a alguns dos mais potentes analgésicos utilizados na prática clínica. (3)

A Acupuntura médica incorpora também uma vertente de eletro-estimulação, na qual um estímulo elétrico (na maior parte das vezes de baixa frequência) é aplicado na placa neuromuscular (ponto de Acupuntura). Este estímulo elétrico provoca impulsos que ascendem ao Sistema Nervoso Central, modulando as vias neuronais da transmissão da dor. (4)

A Acupuntura Médica utiliza por isso métodos convencionais de colheita de história clínica e de exame físico, e estabelece diagnósticos médicos com o significado e terminologia utilizados pela comunidade médica.

Benefícios da Acupuntura

Com base em ensaios clínicos fidedignos e realizados com rigor científico, foi possível observar evidências de melhoria e benefícios numa série de condições ou patologias. A mais importante será na dor musculo-esquelética. (1)

  • Dor cervical e do membro superior: Principalmente no tratamento da dor aguda e sub-aguda provocada por contraturas musculares, posturas incorretas ou excesso de carga, bem como condições inflamatórias como tendinopatias do ombro, epicondilite lateral (cotovelo de tenista) ou outras.
  • Lombalgia e/ou dor ciática: Uma das indicações major da Acupuntura. Estudos mostram que em termos de controlo de dor, consegue atingir a mesma (ou mais) eficácia relativamente aos tratamentos convencionais.
  • Dor crónica do joelho principalmente devida a artrose: Consegue-se atingir benefícios no controlo da dor e melhoria da função relativamente duradouros, com mais segurança e sem necessidade de medicação diária, pelo que é considerada como uma alternativa válida a anti-inflamatórios e outros analgésicos.
  • Dor muscular: Condições musculares pós-traumáticas ou com dor miofascial pela presença de pontos-gatilho secundários a outras condições melhoram com Acupuntura quer em termos de perceção da dor e das contraturas musculares, como também em relação à limitação de movimentos.
  • Fibromialgia
  • Cefaleias de tensão e/ou Enxaquecas: principalmente na primeira, é possível associar pontos gatilhos no pescoço e ombros, cuja desativação melhora substancialmente a sintomatologia.
  • Asma: Os dados são contraditórios. Tratando-se de uma doença multi-fatorial, há casos de sucesso relatados que podem pertencer a algum subgrupo específico. As crises podem ser desencadeadas por uma grande variedade de fatores, pelo que um tipo de tratamento de forma singular dificilmente servirá para tratar a doença de forma abrangente. É importante relembrar que as crises de asma podem ser potencialmente fatais, pelo que é muito importante os doentes continuarem a tomar a medicação para prevenir complicações.
  • Dependências (Tabaco, álcool e drogas): A componente mais importante do tratamento de uma dependência é a motivação do doente. Sem isso, qualquer abordagem terapêutica seja medicamentosa, de relaxamento ou hipnótica está destinada ao fracasso. O papel da Acupuntura principalmente na desabituação tabágica ou abstinência alcoólica prende-se com os benefícios ao nível da ansiedade e/ou compulsão que o doente sente para voltar a fumar ou a beber. Nessa medida, é vista como uma importante componente do tratamento, que ajuda a melhorar as taxas de sucesso.
  • Obesidade: Uma vez mais, aqui impõe-se uma abordagem multi-disciplinar que deve estar alicerçada na motivação do doente em obter bons resultados. A Acupuntura, não leva a perda de peso de forma direta, para isso contribuem fatores mais incisivos como a alteração de estilos de vida por parte do doente e eventualmente terapêuticas medicamentosas. A Acupuntura auxilia de forma decisiva ao controlar a ansiedade do doente em todo este processo, bem como nos episódios de compulsão alimentar que muitas vezes deitam por terra o esforço de semanas.
  • Acidente Vascular Cerebral: Na abordagem do doente após evento agudo, mostrou melhoria na qualidade de vida e na dor associada à espasticidade muscular, embora não tenha mostrado qualquer evidência na recuperação motora.
  • Náuseas e vómitos: Quer nos vómitos por quimioterapia, no pós-operatório ou em grávidas.
  • Sintomas urológicos: Como por exemplo bexiga irritável.

A Acupuntura é por isso uma técnica com inegáveis vantagens, que contribui para a melhoria da qualidade de vida e de várias condições clínicas da pessoa. A experiência e o saber acumulado ao longo de anos fazem dela uma arte segura e compreendida à luz do conhecimento atual. Está hoje já bastante enraizada na nossa comunidade, sendo que os doentes a ela recorrem de uma forma abrangente, o que também atesta a favor dos seus benefícios.

Autor

Miguel Cancela, Médico Clínica Geral (OM 51912) nas Unidades do CMM-Centro Médico de Aveiro, CMM-Centro Médico da Murtosa e CMM-Centro Clínico FisioEstarreja

Bibliografia e Referências Bibliográficas

1. White, A.; Cummings, M.; Filshie, J.: An Introduction to Western Medical Acupunctura. Churchill Livingstone – Elsevier

2. Página WEB oficial da Sociedade Portuguesa Médica de Acupunctura. www.spma.pt

3. Cunha, Giovani S.; Ribeiro, Jerri L.: Níveis de beta-endorfina em resposta ao exercício e no sobretreinamento. Arq Brasileiro de Endocrinologia Metabólica, vol. 52, São Paulo, Junho 2008

4.Takechigue, C.; SATO, T. et al: Descending pain inhibitory system involved in acupuncture analgesia. Brain Res. Bull. 29: 617-34, 1992

Outros artigos
Siga-nos