Canadianas: como usar corretamente?

Autor

Publicado em:
14 Maio, 2020

Faça o seu pedido de consultas com Catarina Lourenço

Canadianas: como usar corretamente?

Durante a prática clínica constatei que a maioria dos utentes que me chegam com auxiliares de marcha, especificamente canadianas, não o fazem da forma mais correta e declaram que não o sabem fazer.

No decorrer da sessão de Fisioterapia e tendo em conta a avaliação do utente, compreendemos a necessidade ou não do uso deste ou outros auxiliares de marcha. Estudamos opções de equipamentos, assim como opções de marcha, através da explicação e exemplificação o utente é desafiado a realizar um ou dois tipos de marcha. No final, discutimos a melhor opção tendo em conta alguns aspetos como:

  • Risco de queda1;
  • Diferenças nos sintomas entre opções;
  • Grau de confiança e facilidade do utente1;
  • Aceitação do uso do equipamento pelo utente1;
  • Entre outros.

Assim sendo, este artigo não pretende ser um modelo a seguir, apenas tenciona dar a conhecer algumas formas de andar com canadianas. Para isso vamos usar o modelo de canadianas mais habitual no nosso país com pega de mão e apoio no antebraço.

Avaliação da qualidade da(s) canadiana(s)
  • A zona de pega deve estar revestida e ser confortável durante o uso;
  • As borrachas (que apoiam no chão) devem estar em bom estado e com rasto (caso estejam estragadas poderá trocar apenas esta parte na loja onde comprou ou outra semelhante).
Ajuste da altura da(s) canadiana(s)

Coloca-se a canadiana a cerca de 10 cm da parte da frente do pé ligeiramente para fora, para não tropeçar. Com o braço esticado, o apoio de mão deve estar à mesma altura do grande trocanter (eminência óssea lateral à coxa)2, caso tal não aconteça deve ajustar a altura.

Posteriormente, enquanto andar tente compreender se está a fazer muita força nos braços/ombros, tal pode indicar que o ajuste não está correto. Se for necessário altere e volte a experimentar.

Como andar com canadiana(s)?

As opções seguintes podem ser usadas de uma forma progressiva, sendo a opção 1 a que protege mais o membro lesionado (sem fazer carga neste) e a 4 a mais independente e próxima do nosso dia a dia habitual.

Andar com duas canadianas:

1. Dobramos a perna “má” (para não apoiar no chão), avançando ao mesmo tempo as duas canadianas e de seguida a outra perna3.

2. Avançamos ao mesmo tempo com as duas canadianas e a perna “má” (apoiando-a levemente no chão) e de seguida a outra perna3.

3. Avançamos ao mesmo tempo a perna “má” com a canadiana contrária e de seguida a perna “boa” com a canadiana contrária3.

Andar com uma canadiana:

4. Avançamos ao mesmo tempo a perna “má” com a canadiana do lado oposto e de seguida a outra perna3.

Como subir e descer escadas?

Regra de ouro: subir com a “boa”, descer com a “má” e as canadianas acompanham sempre esta última.

Se tiver corrimão e for estável pode tirar a canadiana desse lado e usar apenas a oposta.

Subir escadas:

Avançamos primeiro a perna “boa” e de seguida a outra ao mesmo tempo que as canadianas3.

Descer escadas:

Avançamos primeiro a perna “má” com as canadianas e de seguida a outra3.

Considerações Finais

Numa altura em que as sessões de Fisioterapia presenciais foram reduzidas ao mínimo indispensável e todas as restantes aconselhadas à telemedicina, os conhecimentos dos nossos utentes tornam-se ainda mais valorizados. Assim sendo, este artigo e os exemplos de marcha com canadianas aqui presentes são apenas uma proposta e os mesmos devem ser personalizados de acordo com a sua conveniência, situação ou indicação clínica. Se for aconselhado a utilizar outro dispositivo ou outro tipo de marcha pelo seu Médico ou Fisioterapeuta não exposta aqui deve então aceitar e compreender que essa é provavelmente a forma mais adequada à sua condição clínica.

Em caso de dúvida não hesite em contactar o CMM – Centros Médicos e de Reabilitação ou o seu Fisioterapeuta para mais esclarecimentos.

Autora

Catarina Lourenço Fisioterapeuta (C- 060273070) no CMM- Alverca. Lic. Func.: 10860/2015 | Tlf: 219583501

Bibliografia e Referências Bibliográficas

1.Bertrand K, Raymond MH, Miller WC, Martin Ginis KA, Demers L. Walking Aids for Enabling Activity and Participation: A Systematic Review. Am J Phys Med Rehabil. 2017;96(12):894‐903. doi:10.1097/PHM.0000000000000836

2.Esposito F, Freddolini M, Marcucci M, Latella L, Corvi A. Unassisted quiet standing and walking after crutch usage in patients with total hip replacements: Does crutch length matter?. Gait Posture. 2018;64:95‐100. doi:10.1016/j.gaitpost.2018.06.004

3. Rasouli F, Reed KB. Walking assistance using crutches: A state of the art review. J Biomech. 2020;98:109489. doi:10.1016/j.jbiomech.2019.109489


Outros artigos recentes

Siga-nos