João Fernandes

Médico, Otorrinolaringologia

image/svg+xml

Nº Cédula Profissional

OM-31756


image/svg+xml

Línguas

Português, Inglês, Francês, Espanhol


image/svg+xml

Áreas de Interesse

Otorrinolaringologia geral de crianças e adultos, Surdez , Rinologia, Cirurgia laser Otorrinolaringológica, Cirurgia oncológica otorrinolaringológica (tumores nariz, seios da face, faringe, laringe e pescoço), Cirurgia da sinusite.


image/svg+xml

Disponível nas Unidades Clínicas

CMM Murtosa

Grau de especialista em Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervico-Facial (1995)

Licenciatura em Medicina, Faculdade de Medicina, Universidade do Porto (1987)

Assistente Hospitalar de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervico-Facial no Instituto Português de Oncologia, Porto (desde 2000)

Assistente Hospitalar de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervico-Facial no Instituto Português de Oncologia, Coimbra (1999-2000)

Assistente Hospitalar de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervico-Facial no Hospital de Santo André, Leiria (1998-1999)

Assistente Hospitalar de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervico-Facial no Hospital Distrital de Bragança (1997-1998)

Assistente Hospitalar de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervico-Facial nos Hospitais da Universidade de Coimbra (1995-1996)

Assistente convidado de Anatomia (1994-1996) e monitor da disciplina de Otorrinolaringologia (1995-1996) da Faculdade de Medicina, Universidade de Coimbra

Internato complementar de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial nos Hospitais da Universidade de Coimbra (1990-1995)

Colaboração no módulo de Fisiopatologia da Escola Superior de Enfermagem de Bragança (1997-1998)

Internato geral no Hospital de São João-Porto (1988-1989)

Autor e coautor de diversos artigos publicados em revistas médicas nacionais e internacionais e de apresentações orais e posters em congressos nacionais e internacionais

Investigador no projeto “Polimorfismo do gene reparador de DNA XRCC1 em carcinomas espinocelulares da laringe: Potencial biomarcador de suscetibilidade e suas implicações terapêuticas” (2002-2003)